Quem disse que os negros não gostam do Guia?

 Publicado em por Leandro Narloch

,“Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil recebe críticas de negros”. Fato verídico, mas a melhor notícia é outra. Alguns negros adoraram o livro. Logo depois da notícia na Folha, recebi no Facebook uma mensagem de uma leitora. Ó o que ela diz: 

 
Meu nome é Gislaine e sou negra. Quero lhe dar os parabens pelo seu novo livro. Infelizmente ainda não li, mas já gostei. Vou comprar. Não importa se alguns mitos vão cair, o importante é a verdade, sempre. Falo como brasileira e não como negra. Vendo a descendencia brasileira como um todo, observando nossa história como um todo; dá para entender a nossa historia atual. E enquanto não tivemos um olhar critico e sincero do nosso passaso não seremos capazes de construir um futuro melhor. Valeu cara. 


Sensacional. Parece que ela entendeu o seguinte: não é contrário aos negros falar que Zumbi tinha escravos, que havia traficantes negros de escravos ou que reis negros vinham passar um tempo no Brasil, como esses abaixo. Esses fatos  são até motivo de orgulho: é melhor, para os negros de hoje, poder imaginar que seus antepassados também mandaram, decidiram destinos e fizeram suas escolhas prevalecer. E deve ser um alívio deixar de lado o estigma de vítimas do passado.
Nos Estados Unidos, já são meio comuns os intelectuais negros contra as cotas ou a vitimização. É o caso do John McWhorter, que entrevistamos na Super anos atrás, e da turma do Issues & Views, um site de negros americanos conservadores. Tomara que personagens assim sejam cada vez mais comuns no Brasil.

Quem
é Branco Aqui no Brasil?
Faço melhor… “Quem pode comprovar cientificamente,agora!! que os antepassados dessa jovem eram exclusivamente “africanos”!?
ps:Gislane se define “negra Brasileira” e eu idem!Detalhe tenho a pigmentaçao de pele mais escura do que a dela!Mas quem pode afirmar quais sao os verdadeiros antepassados racias de cada uma?
Expressões como : “sangue negro”, “índio mestiço”, ou “meio sangue” caracteriza a falta de conhecimento da relação entre raça e sangue. O sangue, em si mesmo, nada tem a ver com a transmissão da hereditariedade e não deveria ser usada para designar um tipo racial..

Como Iremos definir quem é branco e quem é negro numa sociedade miscigenada e multirracial como a Brasileira?

0 Sua Vez...:

Licença Creative Commons
O trabalho ETNIA BRASILEIRA de Livia Zaruty foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em www.etniabrasileira.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em http://www.etniabrasileira.org.